O Google enganou “parcialmente” os usuários do Android na Austrália sobre dados de localização, regras judiciais

Spread the love

O Google enganou “parcialmente” alguns usuários do Android na Austrália sobre como seus dados de localização estavam sendo coletados, de acordo com uma decisão judicial proferida na sexta-feira.

O Tribunal Federal da Austrália concluiu que o Google deturpou que sua configuração de “Histórico de localização” que os usuários viram durante o processo inicial de configuração da nova conta foi a única configuração que afetou se as informações identificáveis ​​sobre seus locais foram coletadas ou usadas.

Outra configuração, chamada de “Atividade na Web e de aplicativos”, ativada por padrão, também coletaria, armazenaria e usaria dados de localização pessoalmente identificáveis, se não fosse desativada, de acordo com a Australian Competition and Consumer Commission, o órgão de vigilância dos direitos do consumidor que instaurou a ação 2019.

A decisão surge em meio a um escrutínio contínuo de quanto os gigantes da tecnologia de dados coletam dos consumidores. O Google disse no ano passado que eliminaria os cookies de terceiros que rastreiam a navegação individual de uma pessoa em sites e direciona anúncios para eles com base em suas atividades.

O juiz Thomas Thawley disse em julgamento na sexta-feira que isso era “parcialmente” enganoso, e alguns consumidores teriam razoavelmente acreditado que os dados não seriam coletados como resultado.

Os usuários “agindo com responsabilidade” e deixando a configuração de rastreamento de atividade da Web e de aplicativos ativada também dariam permissão para usar e coletar dados de localização, decidiu Thawley.

“O ACCC afirmou que a primeira representação era enganosa porque se a configuração de Atividade da Web e de aplicativos fosse ‘ligada’, o Google continuaria a coletar e armazenar esses dados”, decidiu Thawley, de acordo com o The Guardian. “Aceito esta apresentação.

“A conduta do Google não teria enganado todos os usuários razoáveis ​​nas classes identificadas; mas a conduta do Google enganou ou provavelmente enganaria alguns usuários razoáveis ​​dentro das classes específicas identificadas”, determinou.

O Google disse em um comunicado que rejeitou as alegações do ACCC.

“Discordamos das descobertas restantes e estamos atualmente revisando nossas opções, incluindo um possível recurso”, disse um porta-voz do Google. “Fornecemos controles robustos para dados de localização e estamos sempre procurando fazer mais – por exemplo, recentemente introduzimos opções de exclusão automática para o Histórico de localização, tornando ainda mais fácil controlar seus dados. ”

“As empresas que coletam informações devem explicar suas configurações de forma clara e transparente para que os consumidores não sejam enganados. Os consumidores não devem ser mantidos no escuro quando se trata da coleta de seus dados pessoais de localização.”

O ACCC aplaudiu a decisão, dizendo que as empresas devem explicar claramente suas configurações para evitar que os consumidores sejam enganados.

“Os consumidores não devem ser mantidos no escuro quando se trata da coleta de seus dados pessoais de localização”, disse o ACCC em um comunicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *